Retornando às atividades físicas depois da gravidez

Desejo Sexual Hipoativo
Desejo Sexual Hipoativo
04/08/2014
Herpes Virus
15/09/2014

Retornando às atividades físicas depois da gravidez

montagem

SAIBA COMO RETORNAR ÀS ATIVIDADES FÍSICAS DEPOIS DA GRAVIDEZ SEM PREJUDICAR SUA SAÚDE E A DO BEBÊ

POR PAULA RICUPERO

Após o nascimento do bebê, as mamães atletas não veem a hora de voltar a treinar, mas sempre aparecem algumas preocupações: será que vai prejudicar minha cicatrização? Meu leite pode secar? Quais exercícios posso fazer? É normal surgirem muitas dúvidas, portanto é fundamental que a mulher procure entender as mudanças do seu corpo e respeite o tempo de descanso que ele pede, assim enfrentará essa nova fase sem correr riscos. O período pós-parto, chamado de puerpério, corresponde a um intervalo de 45 dias, tempo mínimo de que o organismo precisa para se recompor após o nascimento do bebê. Nessa fase, todas as mudanças emocionais, hormonais e anatômicas que preparam o corpo da mulher para a gravidez e para o parto estão regredindo. Ao mesmo tempo, as mamas já estão sendo preparadas para a amamentação. Todas essas alterações simultâneas interferem no metabolismo, o que pode infl uenciar na disposição para o exercício, aumentar a sensação de fadiga e, ainda, diminuir a força e a agilidade.

Quando voltar

O prazo para retornar às atividades físicas varia em cada caso, pois é preciso levar em consideração o condicionamento físico da mulher antes do parto. De um modo geral, segundo a ginecologista e obstetra Denise Vasconcelos, 60 dias é o período mínimo que se pode esperar, seja parto normal ou cesariana. “No caso do parto normal, apesar de não haver cicatriz abdominal, podem existir cicatrizes vaginais, que também incomodam bastante e, se sobrecarregadas, podem comprometer a cicatrização”, explica. Caso a mulher tenha um bom condicionamento aeróbico, a médica afirma que o retorno pode ser mais cedo. “Ela deve iniciar, entretanto, com exercícios de intensidade leve a moderada, e ir aumentando de forma gradativa.” Sabe-se que durante os nove meses de gestação, há o crescimento da barriga e, com isso, o estiramento das fibras colágenas, que pode levar ao aparecimento de estrias e à flacidez da pele. Porém, de acordo com Denise, aquelas que já praticavam atividades físicas antes e durante a gravidez possuem uma vantagem. “O músculo dessas mamães tende a responder mais rapidamente ao estímulo, e à medida que melhora o tônus muscular, o aspecto flácido do abdome diminui.”

Atenção à alimentação

Alguns estudos mostram que o bebê costuma rejeitar o leite materno quando, em casos extremos, ele apresenta mudança de sabor devido à presença de ácido lático, o que pode ocorrer com mulheres que fazem atividades físicas muito intensas. Porém, de acordo com Denise, o que se sabe, de fato, é que deve haver apenas um controle entre a quantidade de calorias ingeridas e as gastas. “Apenas no ato de amamentar são queimadas em torno de 500-700 kcal/dia. Então, se a mulher tem outras fontes de gasto energético, como a corrida, e não tem uma alimentação adequada, esse leite tende a ficar mais pobre em nutrientes”, afirma a médica. Durante a amamentação, é imprescindível, portanto, que a mulher mantenha uma alimentação adequada, pois além de mudar o sabor, um leite com baixo teor de carboidratos não irá saciar o bebê. Outro fator importante é a hidratação. A ingestão de água deve ser de 3 a 5 litros diários nessa fase, mas caso a mulher pratique atividades físicas regulares, deve-se aumentar em 20% essa meta.

Cuidados redobrados com o corpo

Em muitos casos de parto normal é preciso fazer um corte na vagina, chamado de episiotomia. Segundo a médica, este é um local de difícil cicatrização, portanto a mulher precisa ter muito cuidado com a higiene íntima e deve evitar roupas que dificultem a transpiração, como tecidos sintéticos ou muito apertados. “O atrito local e a transpiração causados pelo exercício físico podem dificultar a cicatrização, causar desconforto e até favorecer infecções.” Para as mulheres que amamentam, cuidado também com as mamas, pois como ficam cheias de leite, estão mais pesadas. “Procure usar tops mais apertados para evitar desconforto durante a atividade física”, alerta a ginecologista.

Enquanto a corrida não está liberada

Mesmo depois de o obstetra liberar a mulher para fazer exercícios, não é recomendável que ela já vá tirando os tênis de corrida do armário. Conforme as orientações da treinadora Adriana Lobo, é preciso começar com atividades leves, como caminhada, pilates, alongamento e hidroginástica. “Esses exercícios ajudam a elevar a autoestima, combatem a depressão pós-parto e melhoram a circulação e o funcionamento do intestino.” A treinadora explica, ainda, que a organização do tempo ajuda muito nessa fase. “Se a mulher amamentar o bebê antes de se exercitar, por exemplo, ela pode aproveitar o período de sono da criança para treinar e terá pelo menos 2 ou 3 horas para se reidratar e descansar o corpo até a próxima mamada.” Hábitos de vida saudáveis são sempre bem-vindos e devem ser estimulados. Porém, conforme afirma a ginecologista, a informação é a base para propiciar um exercício prazeroso, um resultado eficaz e prevenir lesões. Portanto, consulte sempre seu obstetra e um profissional de educação física antes de iniciar uma atividade física.

Fonte: Revista O2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *